CRISTO EM MIM, QUE ISSO SIGNIFICA? - Pastor Clari Mattos

ESTUDOS

CRISTO EM MIM, QUE ISSO SIGNIFICA?

Publicado: outubro, 2017

“Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2.20).
Obs. Ler também: (Gl 5.24; 6.14 Rm6.6).
A frase “Cristo vive em mim”, denota muitas coisas e nos leva a buscar na bíblia Sagrada quais seriam algumas das coisas ou experiências que se podem classificar como estando dentro dessa tão nobre e séria verdade. Seria somente mais uma das muitas frases de efeito do mundo gospel? Mais um chavão dos muitos criados pela religiosidade do povo? Ou temos motivos para não duvidar da honestidade do apóstolo das gentes e tal como ele buscarmos também essa experiência pessoal e íntima?
Vivemos, no meio cristão, um estilo de vida que em sua grande maioria se configura muito mais antropocêntrica que Cristocêntrica e faz todo sentido que pensemos nessa mensagem radical da autoentrega diária a Cristo. Não é o que eu sou ou quero, mas o que Ele é ou quer!
Os verdadeiros cristãos, nunca duvidamos da sanidade de Paulo, ao dar tão sério e impactante testemunho. Sempre acreditamos que o que ele vivenciou e sentia no que se refere à vida espiritual, é modelo e paradigma para todos nós em qualquer tempo. Quanto a essa qualidade de comunhão íntima do Salvo com o seu salvador, que para muitos pode parecer utópica, para outros um exemplo de fanatismo, o próprio Senhor deixou bem explícita em Jo 15.4: “permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim”.
Precisamos admitir que mesmo sendo remidos pelo sangue de Cristo, ainda temos nossas percepções do mundo espiritual, embaçadas pela ação deletéria do pecado ou mesmo alguns ranços da velha vida ainda, em nossa nova natureza, que prejudica uma existência com essa intensidade e consciência.
“Porque, agora, vemos como em espelho, obscuramente; então, veremos face a face. Agora, conheço em parte; então, conhecerei como também sou conhecido” (1Co 13.12).
Então, o que podemos e devemos fazer é andar pela fé, isto é, confiar no que a revelação bíblica nos diz quanto ao que somos e o que temos (2Co 5.7). A fé, não é uma entidade independente gerada na capacidade humana, simplesmente. Quando alguém, na bíblia, faz uma declaração, aparentemente fantástica ou sobrenatural, ou determina algo que está além do senso comum, o faz porque Deus colocou em seu íntimo tal certeza, o ser humano apenas fala o que o Senhor já lhe revelou ao coração.
Consideremos algumas coisas que a Palavra de Deus nos ensina quanto ao significado para uma vida que aceita viver e permanecer em Cristo:
O SIGNIFICA PARA MIM, HOJE?
Primeiro significa que temos acesso a todas as bênçãos resultantes da obra consuma de Cristo no calvário (2Co 1. 20). “Porque quantas são as promessas de Deus, tantas têm nele o sim; porquanto também por ele é o amém para glória de Deus, por nosso intermédio”.
Alguns desses benefícios são:
1. Comunhão – Para a pergunta, “que isso significa? ”, a primeira resposta é uma vida inteira de Comunhão;
A palavra grega original ‘koinonia’ continha a ideia de partilhar ou ter algo em comum com outrem, penetrar na vida de outrem e, se preciso, ajudar a outra pessoa.
É claro que ter um relacionamento com alguém implica em ter comunhão, e é impossível ter comunhão mantendo-se o outro à distância. Relacionar significa aproximar-se das pessoas, sentir o sofrimento delas, e ser um veículo de estímulo e restauração para elas.
(Vivendo sem máscara – Charles R. Swindoll).
Entre os usos empregos do termo koinōnia em o Novo Testamento encontramos:
a) Designação das experiências e interesses comuns dos cristãos (At 2.42; Gl 2.9);
b) Participação no conhecimento do Filho de Deus (1 Co 1.9);
c) Compartilhamento na realização dos efeitos do sangue e do corpo de Jesus, conforme afirmado pelos emblemas da Santa Ceia do Senhor (1 Co 10.16);
d) Participação no que é derivado do Espírito Santo (2 Co 13.13; Fp 2.1);
e) Participação nos sofrimentos de Cristo Jesus (Fp 3.10);
f) Compartilhamento na vida da ressurreição possuída em Cristo e, por conseguinte, do companheirismo com o Pai e o Filho (1 Jo 1.3,6,7).
Portanto, de acordo com os textos acima, a comunhão representa a unidade espiritual que liga os crentes a Jesus Cristo e uns com os outros (Jo 5.1-10; 17.21,23; Ef 4.3-16).
2. Identidade – Mas, ao mesmo tempo também representa identidade com o Senhor num nível pessoal e muito íntimo.
A nossa identidade é aquilo que nos define. Nos seus vários níveis de aplicação define-nos como um ser humano único e irrepetitível, como membro de uma família, de um grupo de amigos, de um clube, de um partido político, de uma cidade, de uma nação. E, aqui nesse texto, como membros do corpo de Cristo!
Quanto à identidade do crente.
Há aqueles que possuem e não a mostram nem usam;
Há aqueles que a possuem e ESCONDEM, como Jonas;
Há aqueles cuja identidade está DETERIORADA ou ESCONDIDA pelo pecado.
Mas, graças a Deus temos bilhões que a tem e a usma com legitimidade!
Apesar de modernamente, alguns estarem sendo ensinados que “o pecado não consegue esconder a marca de Jesus que existe em você”, nos questionamos, será?
Será que a bíblia não diz o contrário disso?
O profeta Jonas viveu no tempo do Rei Jeroboão II, entre 782 a 753aC;
Sua missão principal era pregar contra o pecado dos ninivitas, os habitantes de Nínive, a capital do grande império Assírio.
Estando em pecado de desobediência, Jonas tomou a decisão de ir para o lugar mais afastado de Nínive que conhecia ou que lhe era possível.
Sua identidade de profeta do Altíssimo estava ofuscada pelo pecado de desobediência, achava-se enfraquecida essa identificação, a tal ponto que somente se revelou quando foi forçado a isso.
O que Paulo possivelmente quer dizer, quando fala de Marcas de Cristo, em Gl 6.17, são os sofrimentos causados pelo envolvimento completo dele no trabalho missionário, e também serviam como que, para identifica-lo como servo (escravo) do Senhor.
O PECADO DETURPA OU OFUSCA, SIM A IDENTIDADE OU IMAGEM DE DEUS NO CRENTE (Isaías 59.2)
A) não são as realizações, os milagres ou sinais visíveis, que identificam o verdadeiro salvo, mas sim a sua identificação ou comunhão com Cristo que conta (Mateus 7.21-23).
B) estar identificado apenas, com a noiva ou os servos e não ter as vestes nupciais não basta. Tem-se que ter experiência de salvação (Mateus 22.12; Isaias 61.10).
C) as vestes são símbolo de identidade do novo nascimento (Apocalipse 19.8);
→ Justificação; → Santidade.
Sobre o conhecimento de Cristo:
Não basta ter um conhecimento SOBRE, é preciso um conhecimento DELE.
Não basta conhecimento referencial, é preciso conhecimento REAL.
O CRENTE QUANDO DEVIDAMENTE IDENTIFICADO COM CRISTO (Gl 2.20).
A) torna-se sensível ao Espírito Santo (Romanos 8.14,16);
B) não precisa de muito argumento ou autopromoção (Mt 7.16; Jo 13.35; Sl 1.3);
C) permanece na Palavra (Jo 8.31; 15.7);
D) continua unido com Cristo que é a Videira verdadeira e produz fruto (Jo 15.5-7);
E) sua vida Normal será uma manifestação da Graça, unção e poder de Deus (At 4.13).
Exemplos:
1.Eliseu – “. Tenho a certeza de que esse homem que vem sempre aqui é um santo homem de Deus” (2 Rs 4.9).
2.Pedro – “. O seu modo de falar mostra que, de fato, você também é um deles”. (Mt 26.73);
3.Os primeiros discípulos de Jesus – “…E reconheceram que eles tinham convivido com Jesus. (Atos 4.13).
A declaração de Paulo: “Cristo vive em mim”, significa e aponta para um estilo de vida. No mundo alguns têm orgulho de se proclamar como: funkeiro, metaleiro, gótico, emo, sambista, e etc., como um estilo de vida, o que determina, seu modo de falar, agir, vestir, de enxergar a vida e interpretar o que acontece ao seu redor.
Para o salvo em Cristo, o seu exemplo de vida é Cristo, seu estilo de vida flui da inspiração do Espírito Santo residente nele (Jo 14.23; Gl 5.22 a 26; 2.20).
3. Testemunho íntimo- Temos de Paulo a preciosíssima informação de “o Espírito Santo se une, (ou testifica com o), ao nosso espírito” para nos garantir que somos filhos de Deus! (Rm 8.16);
4. Segurança no presente e no futuro – É-nos ensinado que Cristo habita em mim, pelo Espírito Santo que me ungiu, o qual é o penhor (garantia), o selo de autenticação de que sou propriedade exclusiva Dele – Jesus! (2Co 1.21,22; Ef 1.13,14; 2Co 5.5). As figuras de linguagem nos textos supracitados, falam do costume antigo de selar um documento ou objeto, era uma espécie de carimbo com a marca do dono, significando autoria, posse, autenticação e proteção! Esta realidade é garantia de um resgate da propriedade no futuro pelo seu verdadeiro dono! Esta é nossa segurança quanto ao o futuro eterno de nossa vida completa, a salvação plena, abrangendo toda personalidade do homem.
Ob. Em Ef 2.22, onde somos comparados a um edifício em construção para morada de Deus NO ESPÍRITO!
A segurança no presente também é referida no texto sagrado em vários lugares e um deles nos assegura que “o maligno não nos toca” (1Jo 5.18).
Ter Cristo em mim, é garantia de que não pesa sobre minha vida nenhuma condenação, tanto agora como na eternidade (Rm 8.1; Jo 5.24).
5. TRANSFORMAÇÃO – A afirmação de Paulo, também aponta para uma nova vida, uma nova criatura em Cristo (2Co 5.17);
6. Cristo em mim, implica igualmente que tenho a mente Dele, o seu modo de pensar! (1Co 2.16). Isto fala de ter discernimento sobre coisas espirituais, tal como o Senhor!
7. Cristo em mim, significa que tenho a vida eterna, a salvação como uma possessão presente (Jo 5.24; 10.10; 1Jo5.12). Que minha herança está garantida pelo que Ele fez por mim!
Por outro lado, significa também responsabilidade em o representar a todo momento! Leia Mateus 5.13-16.
1.Ter Cristo em mim, implica em andar (viver, proceder), como Ele o fez (1Jo 2.5,6);
2. Deus nos chamou para sermos servos do tipo que é sal e luz numa sociedade insípida e em trevas, será necessário que nos dediquemos à tarefa que se encontra diante de nós. Lembremos que o sal não deve perder o seu sabor, nem a luz deve ser escondida.
A expressão “Cristo em Mim”, sugere responsabilidade testemunhal e as três afirmações abaixo, descrevem o modo como podemos cumprir essa missão.
1- Sou diferente. Provavelmente a maior tragédia da cristandade, em todos esses séculos de história e de transformações, tem sido o fato de que ela tende a tornar-se semelhante ao mundo, em vez de ir ficando cada vez mais diferente dele. A cultura prevalente tem-nos sugado para si como um gigantesco aspirador de pó, e é de admirar como estamos nos conformando com ele.
2- Sou responsável. Se entendo corretamente essas palavras de Jesus, não vejo nelas apenas a ideia de ser sal e luz, há mais que isso. Tenho a responsabilidade de não deixar que meu sal perca sua qualidade, e nem que a minha luz se torne obscura ou fique escondida. Vez por outra, será bom dirigirmos a nós mesmos algumas perguntas sérias. O verdadeiro servo não é uma pessoa meramente de palavras, é mais que isso… para que o sabor do sal seja provado e a luz seja vista, é preciso que entremos em contato com outros. Temos uma responsabilidade pessoal.
3- Eu exerço influência. Não nos enganemos. O próprio fato de pertencermos a Cristo nos reveste de poder de influência diante de nossa sociedade. E nós estamos sempre influenciando outros, mesmo quando não assumimos uma postura religiosa ou não pregamos numa esquina de rua. (Eu, um servo? – Dr. Charles R. Swindoll)
O QUE SIGNIFICA PARA A IGREJA, HOJE?
1.O valor de ser parte do corpo, contribuinte da consecução e continuação da missão da igreja como testemunha eficaz e patente do poder de Deus (1Pe 2.9);
2. Cristo em mim, é também o segredo de eu ter uma vida frutífera dentro do reino de Deus, aqui na terra (Jo 15.4,5);
O QUE SIGNIFICA PARA O MUNDO?
1. Que sou um cidadão cumpridor dos deveres, um exemplo a ser seguido, alguém que produz e não somente consome. Também sou uma testemunha (Mt 5.16);
O QUE SIGNIFICA PARA DEUS?
1. Seu investimento em mim não está sendo em vão, procuro ser e fazer o que lhe agrada, alegrando o coração Dele como Pai (Hb 11.6; Pv 10 a);
2. Sou mais um templo ou casa para Seu Espírito atuar;
3. Cristo em mim, significa que Deus vê em minha vida o resultado do penoso trabalho de sua alma (Is 53.11).
O QUE SIGNIFICA PARA MIM, AMANHÃ?
1. Paulo esclarece que o mistério que havia estado oculto foi revelado e consiste em “Cristo em vós, a esperança da glória” (Cl 1.27);
2. “Cristo Em mim” representa a garantia de que serei glorificado quando da volta do Senhor para buscar os seus (Rm 8.9-11);
3. Cristo em mim, também significa o passaporte ou senha de acesso à árvore da vida e entrada na cidade santa e eterna (Ap 22.14);
4 Com Cristo vivendo em mim, o morrer será lucro! (Fl 1.21).
“Cristo vive em mim”, finalmente expressa a condição de uma vida inteiramente rendida ao Senhor! Nestes tempos competitivos, em que somos incentivados a “LUTAR SEMPRE, DESISTIR NUNCA”, é bem difícil falar e se fazer ouvir ou entender que a vida Cristã, em grande medida, é uma desistência!
É deixar de lutar para ser salvo, por mim mesmo e confiar em Cristo que me Justificou por sua Graça (Ef 2.8-10; Rm 3.20, 5.1);
Desisti de lutar contra Deus e passei a batalhar a seu favor (At 5.39/Fl 1.27);
Desisti da corrida em busca do TER material, em favor de SER espiritual (2Co 5.7;1Co 15.19);
Abandonei a posição de sempre ter razão em favor de desfrutar a paz (1Co 6.7);
Deixei a arrogância ranzinza de querer ser alguém por uma posição de simples servo, tal como meu Senhor (Mc 10.45);
Desisti de impor minhas condições para aceitar o que me vier à mão para fazer (Ec 9.10; Mt 5.39-42)!
Pensemos e vivamos estas verdades, embora, difíceis!
Etc., etc..
Amém!
Pr. Clari Mattos.


Comentários no Facebook