AS PROMESSAS DE DEUS - Pastor Clari Mattos

ESTUDOS

AS PROMESSAS DE DEUS

Publicado: setembro, 2017

“Porque quantas são as promessas de Deus, tantas têm nele o sim; porquanto também por ele é o amém para glória de Deus, por nosso intermédio” (2Co 1.20).

Uma promessa é uma declaração referente ao futuro, que garante que alguém fará ou dará algo. Envolve um doador que outorga algo a um recebedor. Encontramos na Bíblia Sagrada muitas promessas de Deus (Rm 1.2), muitas vezes alicerçadas ou inseridas no bojo de alianças que garantem resultados positivos (2Co 1.20).

Algumas considerações necessárias sobre as promessas de Deus registradas na Bíblia:

1) existem promessas que são gerais a todos os cristãos.

Como a esperança da vida eterna (Jo 3.16;1Jo 2.25), a volta de Jesus (Ap 22.12), o novo céu e a nova terra (2 Pe 3.13), a vitória da Igreja sobre as portas (determinações) do inferno (Mt 16.18), a presença do Espírito Santo nos crentes (Jo 14.17), etc.

2) algumas promessas são específicas para alguns indivíduos e não se aplicam a todos.

Algumas vezes Deus prometeu especificamente a alguns homens, dentro de um determinado contexto histórico e estas promessas não se aplicam a mais ninguém (Embora algumas possam exemplificar princípios que são válidos em toda a Bíblia). Ex. A promessa ao rei Ezequias (2 Rs 20.6). Deus prometeu dar-lhe mais 15 anos de vida. Este texto mostra-nos que Deus tem poder sobre a vida e morte, mas não é promessa de sobrevida para nenhum outro homem. (Ver também sobre promessas específicas Gn 12.2; Js 1.5).

3) Promessas feitas a Israel geralmente não se aplicam à Igreja hoje.

Deus prometeu aos israelitas que se eles obedecessem aos Seus mandamentos, eles iriam bem, mas se desobedecessem, seriam desterrados (Dt 28.15-68).

Temos um exemplo em 2 Cr 7.14. É uma promessa específica para Israel, mas que contém o princípio geral de que Deus atende às orações dos humildes. (Is 54; Ez 36.16-38; Jl 2.18-27).

4) algumas promessas do AT são aplicáveis à nossa vida hoje.

As promessas baseadas na natureza de Deus e não em circunstâncias específicas, são aplicáveis a todos, em todos os tempos.

Exemplo: a promessa da eficácia da Palavra de Deus (Is 55.11; Jr 1.12). Por ela, podemos crer que a Palavra de Deus é eficaz tanto hoje como no passado. (Jr 17.7,8; Is 26.3).

Algumas promessas são feitas aos que buscam, ou confiam ou esperam no Senhor e muitas são confirmadas no N.T. Exemplos: (Sl 34.22; Jo 3.18; Is 40.31; Sl 31.23; 34.10)

5) os provérbios não são promessas divinas.

O livro de Provérbio é um livro de sabedoria e contém máximas de sabedoria moral. Um provérbio é uma forma de comunicar verdades usando figuras de linguagem e não constitui uma promessa, a não ser quando está fundamentado sobre a natureza de Deus (Pv 14.26).

Exemplo: (Pv 22.6). Este provérbio nos afirma o princípio geral que o ensino dado à criança lhe guiará por toda a sua vida, mas esta regra tem exceções, não é uma promessa (as promessas de Deus são infalíveis). (Ver também Pv 13.21; 14.20; 15.6).

6) Palavras ditas por seres humanos e registradas nas Escrituras não são promessas divinas.

Quando os homens falaram de sua própria sabedoria e não da revelação de Deus, não se configura uma promessa divina.

Exemplo: (Jó 4.8). Este verso registra a opinião de Elifaz e não uma promessa de Deus. (Ver também Jó 8.6; Sl 10.4-6). A Bíblia registra até mesmo promessas feitas pelo demônio (Gn 3.4), mas não as confirma.

7) algumas promessas são incondicionais, enquanto outras dependem de certas condições.

Em algumas promessas Deus estabelece condições que devem ser atendidas para que Ele as cumpra. Exemplo: (Tg 1.25; Jo 15.7; Rm 8.13; 1 Co 3.12-17). É preciso ver se a pessoa está dentro ou não desta condição para receber esta promessa de Deus. Devemos nos esforçar para enquadrar-nos nas condições da promessa (2 Co 7.1). Também é preciso considerar a condição “sine qua non”, das promessas do Novo Testamento encontrada neste sublime texto:” Porque quantas são as promessas de Deus, tantas têm nele o sim; porquanto também por ele é o amém para glória de Deus, por nosso intermédio”(2Co 1.20).

8) Existem as promessas pessoais, que Deus dá por meio do dom de profecia.

Essas, Deus direciona a cada pessoa individualmente. Há pessoas que receberam a promessa específica de que irão gravar um CD de música evangélica; outras de que se tornarão evangelistas de tempo integral; outros, a de que se tornarão médicos, missionários, etc. Aqui cabe uma palavra de alerta sobre a vulgaridade com que se está tratando essas questões. Muitos estão vivendo uma verdadeira histeria emocional e não espiritual, por ter ouvido uma dessas muito populares “profecias”, sobre um futuro brilhante, uma viagem internacional, etc. Nesse particular deve haver o discernimento de que falou Paulo aos coríntios: “Tratando-se de profetas, falem apenas dois ou três, e os outros julguem”(1Co 14.29).

É necessário observar-se o contexto de uma promessa ao interpretá-la, para não incorrer em erro.

Exemplo: Na passagem de 2 Co 8.9 não temos aí uma promessa de prosperidade financeira, pois seu contexto fala de coisas espirituais. Fp 4.13 Fala de poder suportar tudo e não poder fazer, alcançar, realizar ou obter.

Algumas Bênçãos de Deus para o crente:

A promessa de perdão em 1 Jo 1.9, é condicional –  “Se confessarmos.”

Ele prometeu o Espírito Santo (Lc 11.13) – Condição: “Se lhe pedirmos”;

A prometida sabedoria em Tg 1.5 está condicionada a “Pedir com fé”

Ele promete a paz em Is 26.3 – Condição: “Aquele cuja mente está firme em Ti, confia!”

Ele promete nos dar condições e poder para suportar a tentação (1 Co 10.13), mas é preciso ficar atento e lutar para não cair (1Co 10.12);

Deus promete não nos desamparar (Hb 13.5), mas é preciso contentar-se com que se tem, e não se entregar à avareza;

Jesus nos prometeu vida abundante (Jo 10.10), mas é preciso aceita-lo (Jo 1.11,12).

Ele prometeu o batismo com o Espírito Santo (At 2.39), mas também precisamos crer e buscar;

Deus promete nos presentear com coisas melhores, a presença do Espírito Santo em nós (1Co 2.9-16);

Jesus promete alívio para nossas canseiras (Mt 11.28-30) – Condição: “vinde a Mim”

Jesus promete viver em nós (Jo 14.23) -Condição:” Se alguém me ama, obedece minha palavra”

Jesus promete nunca nos abandonar (Mt 28.20), a condição aqui é obedecer a grande comissão (Mt 28.18-20);

Jesus promete estar presente quando estamos reunidos e unidos em comunhão (Mt 18.19-20) – Condição: “Unidos, em harmonia e oração”

Jesus prometeu-nos que voltará (Jo 14.2-3) e porá fim à morte, à tristeza e à dor (Ap 21.4), esta promessa é INCONDICINAL!

 

Serviu-nos de base para este estudo:

 

RHODES, Ron. O Livro Completo das Promessas Bíblicas. Rio de janeiro: CPAD, 2006.

CHAMPLIN, R.N. Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. 6ª edição. São Paulo: Hagnos, 2002.

 

Compilado e ampliado por: Pr. Clari Mattos


Comentários no Facebook