RENASCER É PRECISO! - Pastor Clari Mattos

ESTUDOS

RENASCER É PRECISO!

Publicado: agosto, 2017

A CRUCIAL REGENERAÇÃO.
“A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” (Jo 3.3).

Nascer é o milagre da vida!

Apesar dos assombrosos avanços da medicina e outros saberes humanos, o processo pelo qual chegamos à realidade da existência, continua sendo um grande mistério (Sl 139.14-16). A semana passada fomos informados de que a ciência descobriu formas de interferir no próprio DNA de um feto, meu Deus! Agora, e antes da formação do já famoso DNA, ADN? O que havia, ou como explicar sua inicial formação, ou concepção? A resposta está com Deus, o criador!

Deixando a ciência para os cientistas, nos concentramos no que a bíblia no informa sobre a vida, mais propriamente sobre os já nascidos. Se consideramos um grande enigma o nascimento natural de um ser humano, que diremos do novo nascimento?

O QUE É.

No espiritismo, também se fala em nascer de novo, e é utilizado as mesmas passagens da Bíblia, pois eles acreditam que quando Jesus falou em “nascer de novo” é um sinal de que acreditava em reencarnação, ou seja, depois que a pessoa morre, ela pode nascer de novo e voltar para a Terra.

Nascer de novo também é um termo coloquial que se usa quando alguém passa por uma grande dificuldade, ou um acidente de carro, por exemplo, e sobreviveu, significa que ela “nasceu de novo” após ver a morte bem de perto.

O “nascer de novo”, conforme a revelação dos textos, especialmente de João, o apóstolo, significa nascer de Deus (Jo 1.13;1Jo 3.9, etc.), ou nascer do Espírito (Jo 3.6). Literalmente, segundo os que entendem de grego, significa, por consequência, “nascer do alto”. Resumindo, é a ação sobrenatural do Espírito de Deus no pecador, mediante a sua fé e aceitação do sacrifício de Cristo em seu favor, popularizado simplesmente na frase “aceitar Jesus como Salvador”.

SUA NECESSIDADE.

Das palavras do Senhor Jesus a Nicodemos, em na famosa entrevista de Jo 3.1-21, vamos encontrar basicamente a razão porque é preciso “nascer de novo”. Quem não nascer de novo não pode VER (Jo 3.3), e nem ENTRAR no reino de Deus (Jo 3.5). Mas, há um ensino bem amplo sobre a urgente necessidade de o pecador passar por essa gloriosa transformação.

Eis algumas das explicações bíblicas sobre a necessidade do novo nascimento:

  1. Sem o novo nascimento, o homem está morto em delitos e pecados (Ef 2.1-2).

A morte implica em estar sem vida. O pecador sem essa transformação está indiferente a Deus, a Cristo e sua palavra.

  1. Sem o novo nascimento, o pecador, por natureza, é filho da ira (Ef 2.3).

O foco aqui é deixar claro que o problema humano não está somente no que se faz, mas no que é. À parte do novo nascimento, o próprio homem é seu problema. Circunstâncias, nem as pessoas que o cercam a vida, mas a sua natureza é o meu mais profundo problema pessoal. Eu não tive primeiro uma boa natureza e, em seguida, fiz coisas ruins e passei a ter uma natureza má. “Eu nasci na iniquidade, e em pecado me concebeu minha mãe” (Sl 51.5). Paulo descreve a nossa natureza antes do novo nascimento como “filhos da ira. ” Em outras palavras, a ira de Deus é para nós como um pai em relação a seu filho.

  1. Sem o novo nascimento, os homens amam as trevas e odeiam a luz (Jo 3.19-20).

​            Esta palavra de Jesus enuncia algumas das coisas que a nossa natureza é sem o novo nascimento. A natureza humana não é neutra ao se aproximar da luz espiritual, resiste. Quanto às trevas espirituais, também não somos neutros quando elas os envolvem, está provado que o homem a abraça. Amor e ódio estão ativos no coração não regenerado. E eles se movem em direções exatamente opostas — odiando o que deveria ser amado e amando o que deveria ser odiado.

  1. Sem o novo nascimento, os corações são duros como pedra (Ez 36.26, Ef 4.18). O ponto crucial do drama humano não é a ignorância. Há algo mais profundo: “por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração”. Trata-se da ignorância culpada, não da ignorância inocente. Ela está enraizada nos corações duros e resistentes. Paulo diz em Rm 1.18 que os pecadores detêm a verdade pela injustiça. A ignorância não é o maior problema, e sim a dureza e a resistência.
  2. Sem o novo nascimento, o pecador é incapaz de se submeter a Deus ou de agradar a Deus (Rm 8.7-8). Em outras palavras, ele está contrastando aqueles que são nascidos de novo e tem o Espírito, com aqueles que não são nascidos de novo e, portanto, não tem o Espírito, mas tem somente a carne. “​O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito. ” (João 3.6).
  3. Sem o novo nascimento, o homem é incapaz de aceitar as coisas de Deus (Ef 4.18; 1 Co 2.14). O problema não é que as coisas de Deus estejam além das suas capacidades intelectuais. O problema é que ele as enxerga como tolice. “Não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura. ” Na verdade, elas são tão loucas para ele, que ele não pode compreendê-las.

Lembre-se de que este é um “não pode” moral, e não um “não pode” físico. Quando Paulo diz “O homem natural. . . não pode entendê-las”, ele quer dizer que o coração é tão resistente a recebê-las que a mente justifica a rebelião do coração vendo-as, então, como loucura. Esta rebeldia é tão abrangente que o coração realmente não pode receber as coisas do Espírito. Isto é uma verdadeira incapacidade. Mas não é uma incapacidade coagida. A pessoa não regenerada não pode porque ela não quer. Suas preferências pelo pecado são tão fortes que ela não consegue escolher o bem. É uma verdadeira e terrível escravidão, mas não é uma escravidão inocente.

  1. Sem o novo nascimento, não há como ser um autêntico servo de Cristo ou recebê-lo como Senhor (Jo 6.44, 65; 1 Co 12.3).

Em 1 Coríntios 12.3, Paulo declara: “​ninguém pode dizer que Jesus é o SENHOR, senão pelo Espírito Santo”. Ele não está dizendo que um ator num palco ou um hipócrita em uma igreja não possam dizer as palavras “Jesus é o Senhor” sem o Espírito Santo. Ele quer dizer que ninguém pode dizê-lo legitima e verdadeiramente sem nascer do Espírito. É moralmente impossível para o coração morto, em trevas, duro e resistente celebrar o senhorio de Jesus sobre a sua vida sem ser nascido de novo.

O PROCESSO DO NOVO NASCIMENTO

Usamos o termo processo aqui, por falta de palavra melhor, contudo a transformação conhecida como “o novo nascimento” não é um processo no sentido de “Sucessão de estados ou de mudanças”, mas sim como: “Maneira pela qual se realiza uma operação, segundo determinadas normas; método, ou técnica.

Também chamado de regeneração, novo nascimento é um ATO instantâneo, completo e definitivo de Deus na pessoa do Espírito Santo, com base em Sua graça, mediante a fé (Ef 2.8). Diferente da conversão que, esta sim, é um processo.            A conversão é a manifestação externa da regeneração. Não podemos ver a regeneração, mas podemos ver os efeitos que ela produz em um afastamento do pecado e uma aproximação de Deus.

Uma obra realizada em conjunto

Estamos acostu­mados a ouvir que a salvação é uma obra divina. De fato, Deus é totalmente soberano em tudo, inclusive na obra de salvação.

  1. a) A conversão como obra de Deus (Ef 3.14,16; Jo 15.5). Certamente esta ação soberana de Deus, concedendo e sustentando nossa salvação e nossa comunhão com Cristo, envolve nossa conversão.
  2. b) A conversão como obra humana. Ao contrário da regeneração, que é uma obra totalmente divina, a conversão é uma obra na qual a participação humana é importante.

(Is45.22; Ez 33.11). De acordo com este texto, quem devia se converter dos seus maus caminhos? A casa de Israel (os judeus). Portanto, esse texto coloca a responsabilidade da conversão sobre os ombros das pessoas a quem a profecia era dirigida.

No Novo Testamento, encontramos ocor­rências com conteúdo semelhante. (At 2.38; At 16.31). A soberania de Deus e a responsabilidade humana cami­nham lado a lado na conversão.

EVIDÊNCIAS OU RESULTADOS DA REGENERAÇÃO.

  1. A) vida nova, espiritual santa (João 3.3,5; 1.12; 1Jo 5.1,11-12).
  2. B) nova natureza (2Pe 1.4 = novo coração Jr 24.7; Ez 11.19);
  3. C) nova criação (diferente de reformar, ampliar) (2Co 5.17; Ef 4.24; ler depois: Ef 2:10;
  4. D) uma Revivificarão espiritual (ressurreição dentre aqueles espiritualmente mortos) Ef 2.1,5-6). Morte é separação. Na regeneração o homem é vivificado em seu espírito que havia morrido com a queda (Gn 2.17), recondicionando-o a ter comunhão com Deus novamente (Jo 4.24).
  5. E) comparado a uma Transladação espiritual (Cl 1.13;1Jo 3.14; Jo 5.24) – Mudança de esfera; transferência de lealdade do ego, pecado e Satanás, para Deus; transferência do reino das trevas, onde reinam o pecado e Satanás, para o reino do Deus – Filho.
  6. F) chamado de uma Criação espiritual Ef 2.10; 2Co 5.17; Gl 6:15; Ez 36:26-27; Ef 4.24; Cl 3.10. … somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras … (Ef 2.10). … se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. (2 Co 5.17).

Bom, como sempre digo, a regeneração ou novo nascimento não é o que eu “queria”, mas o que eu precisava!

Amém!

Pr. Clari Mattos.

 

Fontes consultadas além da bíblia:

Por que Precisamos Nascer de Novo? – John Piper


Comentários no Facebook