A TENSÃO PREDESTINAÇÃO (Rm 8.18,28-30). - Pastor Clari Mattos

ESTUDOS

A TENSÃO PREDESTINAÇÃO (Rm 8.18,28-30).

Publicado: outubro, 2017

“Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos […]”

A questão da predestinação individual, quanto à salvação da alma humana no céu tem alimentado e realimentado muitos debates, durante vários séculos de história do cristianismo. Têm-se criado muita confusão nos círculos cristãos evangélicos, especialmente no meio teológico acadêmico.

Mas, nos parece que essa tensão, esse dilema, só acontece mesmo, em nível mais intelectualizado, pois a nível de povão, com todo respeito aos salvos, pelo termo, o que ouvimos e vemos é uma despreocupação com o tema, provavelmente por ignorarem, em sua grande maioria. Ouço, no meio pentecostal ou não, expressões típicas de quem acredita que foi escolhido independentemente de estar procurando ou buscando a Deus. “Você é um escolhido”; “fui escolhido antes de nascer”; “se ele for um dos escolhidos ele volta para igreja”, etc. Pouco ou nada se canta ou se prega sobre a responsabilidade pessoal da necessidade em tomar uma decisão por Cristo e arrepender-se de seus pecados, conforme lemos, por exemplo em “Então, disse Jesus a seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me” (Mt 16.24).

Aparentemente a maioria dos que cantam, escrevem nas redes sociais ou pregam são predestinalistas a julgar por suas mensagens. Mas, por que será que isso acontece? Presumo que o ensino, mal compreendido da predestinação bíblica gera um sentimento de conforto nos adeptos e o que é mais sério, os exime de responsabilidade pessoal transferindo-a para Deus. É muito mais cômodo acreditar que Deus faz tudo absolutamente, não deixando nada para o ser humano fazer, até a sua graça dizem, é irresistível. A propósito de “resistir”, veja os seguintes textos: “ Homens de dura cerviz e incircuncisos de coração e de ouvidos, vós sempre resistis ao Espírito Santo; assim como fizeram vossos pais, também vós o fazeis” (At 7.51). Ver também Hb 3.7,8. Seguem, crendo que há um grupo especial, seleto número de filhos privilegiados, etc. Agora, esse ensino me soa totalmente injusto e indigno da natureza do autêntico amor de Deus (Jo 3.16).

Bem, como eu disse, reconhecemos que são séculos de discussões sobre o tema e não sou eu que vou resolver a questão, mas nosso intuito é simplesmente fazê-los pensar um pouco mais sobre o assunto, firmando suas bases, pois o que e como cremos, determina a maneira como vivemos! Pessoalmente acredito no livre arbítrio dado pelo criador a todo ser humano sadio que deve ser usado para a consecução do plano da salvação. Afinal leio versículos como o de Jo 1.12 que diz: “Todos quantos o receberam […]”, e RECEBER é um ato de minha vontade, não é? Acreditei sempre que o livre arbítrio se harmoniza melhor com o ensino das Escrituras e também honra a Deus, mais do que um dia ter que acusar o criador de lançar alguns na perdição eterna.

Eis como assimilei o assunto e me fez descansar no amor e na Soberania de Deus, sem deixar de ser responsável por minhas atitudes, ações e reações.

Estar em Cristo é o segredo, pois Ele é o caminho, a verdade, a Vida, o Alfa e o ômega, autor e consumador da Fé, etc.

O que Deus predestinou, então, foi um caminho para o céu, só um!

Neste caminho estão todos os verdadeiros crentes e este acesso único é Cristo (Jo 14.6). Em João 14.2, aprendemos que o Pai já preparou um lugar para receber seus filhos por adoção em Cristo: “Na casa do meu Pai há muitos quartos, e eu vou preparar um lugar para vocês. Se não fosse assim, eu já lhes teria dito” (NTLH). Como disse alguém em linguagem bem contemporânea, é como se o pai já tivesse feito todas as reservas para os seus, lá no céu, mas quem vai fazer o check-in, somos nós pessoal e individualmente, sem procuração, pois a salvação é individual, mesmo!

A você que já está no caminho, não saia dele;

A quem está no barco certo, não pular no mar bravio do mundo sem Deus, de novo;

Àqueles que se encontram em Cristo, O caminho, rejeite todas as propostas de rotas alternativas dadas pelos GPS’s elaboradas pelas religiões do mundo;

Entenda-se biblicamente, que tudo o que se poderia fazer da parte de Deus para nossa salvação Ele já fez! Não há, absolutamente nada que se possa acrescentar para melhorar o plano! (Jo 18.30; Hb 7.25; 12.2;2 Pe 1.3; Co 3.11, etc).

A partir da aceitação da chamada para a salvação e de ter entrado nas linhas internas da segurança do aprisco do Bom Pastor, estamos eleitos e predestinados para a glória eterna. Outra maneira de entender a predestinação é vê-la como uma referência à libertação ou salvação coletiva – a igreja corporativamente, e não como indivíduos isolados. A salvação individual, posso vê-la em textos como o de Mc 16.16: “Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado”; ou em Rm 10.9 onde lemos: “ Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo”.

Fica, nos parece, bem claro nestes e outros textos que a questão da salvação espiritual eterna, é uma decisão do pecador agora, visto que o plano e a provisão já foram feitos por Deus, através de seu Filho, na obra da redenção. O que cabe ao pecador é aceitar a provisão divina, pois “salvação provida, não é o mesmo que salvação aproveitada”.

Para concluir, lembrei-me de mais uma forma moderna de ilustrar a séria questão da predestinação.

Uma aeronave foi devidamente preparada para fazer determinada rota, depois de todo o processo de compra de passagens, check-in e de embarque, com todos os passageiros já acomodado em suas poltronas, o comandante se expressa: “ benvindos a bordo da aeronave da companhia tal, blábláblá, com destino a[..]”. Fácil deduzir que todos que estão dentro do avião estão predestinados ao local informado e ponto!

Lembre-se, as Epístolas, tal como a que foi escrita aos Romanos, acima foram endereçadas primeiramente à igreja, gente já salva, dentro da embarcação e, portanto, destinados à glória!

Amém!

Pr. Clari Mattos.


Comentários no Facebook