ESTUDOS

O HOMEM E O TRABALHO.

Publicado: agosto, 2019

“Então as pessoas saem para o serviço, onde trabalham até o entardecer” (Salmos 104.23)

Tenho por mais pura verdade que a qualidade do trabalho de um servo é o reflexo exato de seu caráter. Ou dizendo de outra forma, aquilo que um trabalhador faz é resultante a reprodução do valor de seu caráter.
Temos aprendido que o trabalho honesto, diligente e bem feito dignifica o ser humano.
Desde o Éden que o ser humano vive a realidade do trabalho. Ou melhor sente a necessidade de trabalhar e não foi ninguém humano que inventou a primeira atividade laborativa, não, viu? Está escrito que mesmo antes da entrada do pecado no mundo dos humanos, já havia algum tipo de trabalho, evidente que devia ser algo muito leve e sob as melhores condições jamais imaginadas por qualquer sindicato trabalhista.
Veja como a bíblia descreve a primeira ocupação do homem no início de sua existência: “O Senhor Deus tomou o homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar” (Gn 2.15). Aqui temos os termos “cultivar e guardar”, qualquer que seja o sentido dessas palavras lá naquele tempo, elas pressupõem trabalho, certamente com grau de suavidade muitíssimo diferente daquilo que se lê no pós-queda “Com o suor do rosto você obterá alimento, até que volte à terra da qual foi formado. Pois você foi feito do pó, e ao pó voltará” (Gn 3.19). Considerando que os termos “suor do rosto”, fizeram parte do juízo ou punição divina pelo pecado, então temos que deduzir que antes, no Éden não havia “suor”, ou seja a vida do homem transcorria em plena suavidade, num ambiente totalmente climatizado e sem nenhum estresse, depressão nem ansiedade!
Suas atividades eram basicamente colher frutos e legumes que compunham sua integral e substancial dieta sem nenhuma competição ou oposição nem ameaça de parasitas, fungos, pragas ou qualquer fera, pois feras não existiam, ainda!
Mas, como você sabe, essas condições acabaram com a entrada do pecado, tudo se transformou em uma realidade que nem preciso descrever para você, pois todos sabemos na confusão em que o mundo se tornou.
Salomão expressa a realidade vista por ele em seu tempo, com aplicação atemporal também: “Foi isto, porém, que descobri: Deus criou os seres humanos para serem justos, mas eles buscaram todo tipo de maldade” (Ec 7.29). A própria natureza geme, diz a Palavra, almejando ser também redimida do cativeiro da corrupção! (Rm 8.20-22).
O trabalho, por muito tempo na história das civilizações, foi apenas para subsistência, mas faz parte da natureza humana a ganância e a insaciedade, então surgiram os escravos do trabalho, que ainda existe!
Mas, o assunto do trabalho ou ocupação laboral, é por demais complexo em nosso mundo multifacetado, globalizado e modernamente, virtualizado.
Muitas profissões já não existem, foram extintas há não muito tempo atrás, as quis já foram assimiladas ou transformadas em outros tipos de procedimentos. Algumas funções já foram, outra estão sendo e muitas serão substituídas em alguns anos, por robôs autônomos. As consequências dessas transformações na sociedade já se refletem na falta de qualidade de vida ou nas muitas doenças físicas e emocionais em homens e mulheres que devido à ociosidade ou ao sedentarismo, são atingidas pela depressão ou ansiedade.
O que falamos até agora, foi de trabalho físico ou intelectual em benefício da manutenção da vida humano no plano natural, contudo há também o serviço espiritual que prestamos tanto a Deus em forma de adoração, como também ao próximo em termos de boas obras com base no amor fraternal.
Na parábola dos talentos proferida por Jesus em Mt 25.14-30, temos o ensino de Cristo sobre uma boa, inteligente e comprometida mordomia sobre os bens, dons ou valores recebidos do Senhor para os administramos.
É uma atitude natural, relaxar ou mesmo ficar doente na espera, especialmente se ela se demora. Nas palavras do sábio “Esperança adiada faz adoecer o coração […]” (Pv 13.12). Mas somos ensinados a nos mantermos ocupados na mente, coração e com as mãos, enquanto esperamos o Senhor voltar!
Sejamos produtivos, ativos e dinâmicos!
Lemos do salmista os seguintes conselhos:
“Espere no Senhor. Anime-se, e fortifique-se o seu coração; espere, pois, no Senhor” (Sl 27.14).
Amém!
Pr. Clari Mattos.


Comentários no Facebook